9 DICAS DE COMO FAZER OFERTAS MISSIONÁRIAS

Quantas pessoas aqui precisam aprender como fazer ofertas missionárias nos cultos de missões? Creio que todos! Pastores, secretários de missões, obreiros encarregados dos cultos e principalmente os missionários. Meu propósito ao dar nove dicas de como realizar ofertas missionárias em todos os eventos é para que elas ganhem elegância, credibilidade e o destino certo.

Lamento que existam gente fazendo ofertas de missões sem necessidade, pois não tem missionários presentes e nem compromissos de enviar a alguma organização. Não está correto, igreja nenhuma fazer ofertas de missões, para ocupar em outros destinos que não sejam a obra missionária: programas de rádio, aluguéis para as casas dos obreiros locais, viagens e compras diversas.

Na Internet encontramos várias páginas falando das ofertas, dízimos e primícias, mas nenhum deles ensina como se faz, como se pede, e como se levanta as ofertas. Qual o melhor momento do culto para realizar? Como podemos chamar a oferta; recolher, levantar ou tirar a oferta missionária? Onde colocar a oferta: no gazofilácio, na salva ou na mesa?

Pode ser chamado de coleta, doação ou oferta? Que horário é mais recomendável: no início, no meio ou no final do culto? Será de maneira simultânea enquanto cantam ou exclusiva e em silêncio? Será melhor na comodidade sentado ou caminhando para entregar na frente do altar? Deverá ser feito com solenidade, com uma palavra de oferta ou às pressas quase se esquecendo dela?

Responderei estas perguntas nas nove dicas abaixo, quais são as melhores maneiras de fazer ofertas missionárias, e também abordarei este assunto tão polêmico de como fazer oferta via Internet, sem o missionário se deslocar da sua terra de atuação.

1. Como Fazer Ofertas em Cultos de Missões?

As ofertas dos cultos de missões precisam ser avisadas com antecipação, com uma data marcada para que os irmãos venham preparados para contribuir da melhor maneira possível. Habitualmente se faz uma oferta missionária ao mês, por isso ela deve ser muito especial na quantidade e na qualidade da sua realização.

As ofertas missionárias têm que ser feitas visivelmente sobre uma mesa, na presença de todos e com uma meta a ser alcançada. Para isso a igreja precisará ficar sabendo qual foi o valor da última oferta missionária do mês passado para que a nova oferta vá superando os cômputos.

Quando não alcançar a meta poderia ser repetido uma nova oferta, principalmente quando faltar pouco para atingir e superar a meta da oferta passada. A superação não precisa ser muito além do previsto. Vou supor que no mês anterior a oferta foi R$ 2.007,00 se no mês atual chegar a R$ 2.013,00 estaria ótimo.

A mesa deverá ser retirada diante do púlpito logo após as ofertas serem deposita sobre ela, deve ser removida da frente do púlpito, mas não levada para uma sala à parte, como quem está fazendo algo indevido, que não possa ser visto pelo público. Sempre ocupar duas pessoas responsáveis para fazer a contagem do dinheiro ali mesmo diante de todos, apenas dar as costas a congregação. Não deveriam utilizar a toalha para embrulhar a oferta, e nem retirar a mesa do recinto.

A entrega de envelopes especiais é um sistema muito bom para os irmãos colocarem seus dízimos, primícias e ofertas de pactos, mas para as missões o melhor é que seja visível sobre a mesa. O melhor momento para fazer a oferta missionária é após a pregação, com toda solenidade, lendo antes algum versículo de apoio. As pessoas deveriam levar em silêncio até a mesa que estará diante do púlpito, nada de cantar, isso só distrai os ofertantes. As ofertas não deveriam ser chamadas de coletas e nem usar a palavra tirar, pois soa desagradável aos ouvintes, pois ninguém tira nada, ela deve ser dada com alegria, com espontaneidade e generosidade. (2 Coríntios 9.7) “Cada um dê conforme determinou em seu coração, não com pesar ou por obrigação, pois Deus ama quem dá com alegria.

2. Como Fazer Ofertas em Congressos de Missões?

Onde houver o maior número de pessoas concentradas as ofertas missionárias devem ser feitas de maneira inteligente e em tempo prudente, logo após a pregação exclusiva sobre missões. Em virtude do tamanho do recinto poderiam colocar alguns irmãos devidamente identificados com um colete de tecido de TNT para receber as ofertas, sem que o povo tenha necessidade de se deslocar do lugar onde se encontram.

O uso de máquinas para receber doações com cartão de crédito também deveria estar junto aos obreiros identificados, assim seria mais ágil e prático para os irmãos ofertarem com toda comodidade merecida.

Existe uma maneira de fazer um congresso sem necessidade de levantar ofertas, apenas cobrando a entrada com direito a material e crachá. Uma pessoa normalmente ofertaria R$ 5,00 reais por culto, mas se cobrar uma entrada a R$ 50,00 reais por dia, os irmãos pagarão com gosto. Principalmente quando eles souberem de antemão o cronograma do evento e quem serão os preletores que ministrarão as palestras.

3. Como Fazer Ofertas em Programas de Rádio?

Estando no Chile lá pelo ano de 1991 não havia sequer uma emissora de rádio evangélica, mas com o passar dos tempos alguns empresários se organizaram para comprar 18 rádios em todo o território nacional. Até então não era uma rede de rádios, mas eram rádios independentes, só depois de serem compradas, e que passou a ser do povo de Deus, transformaram elas em uma rede satelital.

Estas rádios foram compradas com o dinheiro do povo, se estabelecia 30 veículos em diferentes pontos da capital e outro tanto nas regiões. Cada veículo estava devidamente identificado com um letreiro verde, em forma de triângulo sobre o teto do carro e ficavam no ponto das arrecadações desde muito cedo até a noite. Aqueles irmãos ligavam para o estúdio central de hora em hora para avisar o montante arrecadado.

Quando alguém doava uma oferta significativa no valor de R$ 5.000,00 mil reais, por exemplo, aquele ponto de arrecadação que havia recebido ligava para o estúdio central, e os locutores colocavam o hino 56 da harpa cristã “Tudo em Cristo”, em espanhol e davam uma palavra de gratidão a Deus.

A programação era especial desde que abria a rádio até no final do expediente. Pregações, louvores, até eu mesmo uma vez preguei em uma campanha de arrecadação e nesta ocasião as 18 rádios já estavam em cadeia via satélite para as 18 estações. A minha mensagem estava baseada no tema: “Uma oferta de amor para um Deus romântico”. (Isaías 43.24) “Você não me comprou qualquer cana aromática, nem me encheu com a gordura de seus sacrifícios. Mas você me sobrecarregou com os seus pecados e me deixou exausto com suas ofensas.

Programas de boa qualidade podem pedir contribuições ao vivo pela rádio, mas que o montante seja uma meta alcançável, pois o povo não gosta de contribuir quando entendem que está sendo pedido algo inalcançável, inatingível e inacessível.

4. Como Fazer Ofertas em Nome de Terceiros?

Fazer ofertas para terceiros é mais fácil do que fazer para seu Ministério pessoal. Quando os missionários forem convidados a fazer alguma oferta missionária para outros, tente utilizar algumas práticas a fim de arrecadar uma boa oferta.

Missionários quando receberem o convite para fazer as ofertas missionárias, para si mesmo, não hesitem em solicitar a ajuda, o segrego é manter a calma e a humildade, não subestimem as igrejas onde vocês estiverem pedindo a oferta, não esnobem e nem menosprezem a capacidade se eles forem pobres, nem esperar o bolão milionário se eles forem ricos.

Se os missionários conhecerem os Pastores da igreja, podem confiar neles para que solicitem a oferta, mas se não há este conhecimento prévio, então eles deveriam aplicar suas maneiras, fazendo bom uso da liberdade a eles oferecido com sabedoria, estimulo e decência.

Estando em Rancagua – Chile, encontramos muito elogiável uma forma como foi feita a oferta para o nosso Ministério. Os irmãos da igreja depositaram suas ofertas em uma linda cesta de vime, de aproximadamente 70 cm de diâmetro. Logo terminada a oferta à pastora daquela igreja se dirigiu onde nós estávamos, e disse para nós, que apanhássemos aquela oferta da cesta. Começamos recolhendo a oferta, organizando as cédulas de maior a menor valor, arrumando todas elas na mesma posição e depois as moedas. Sentia-me como estivesse recolhendo uvas numa videira, minha esposa Missionária Ivone Karkle estava também com suas mãos colhendo aquela oferta.

Como a oferta tinha sido feito com amor, tudo foi muito solene, nada de atropelo, nada de vergonha das demais pessoas, nada de levar a oferta para outro ambiente as escondidas, nada de a igreja mesmo fazer a contagem, nós éramos os missionários, nós fomos indicados a recolher e contabilizar aquela bênção. Este tipo de oferta serve de exemplo para as igrejas brasileiras, ainda que cada uma delas já tenha criado suas maneiras exclusivas de fazerem as ofertas missionárias, nunca está de mais renovar os seus métodos habituais.

5. Como Fazer Ofertas com Porcentagens?

As igrejas bem que poderiam determinar uma porcentagem total das ofertas do mês para destinar as missões, de 12%, a 15%. Só assim as ofertas missionárias sairiam do tesouro oficial das igrejas e não das apelações, dos cofrinhos de moedas e das cantinas. Sempre defendi a tese que os salários dos missionários deveriam ser incluídos na folha de pagamento, tal qual recebe o Pastor local e outros funcionários e não de caixas separadas do tesouro.

Estas caixas separadas de missões vivem às vezes, (muitas vezes) sem dinheiro, outras vezes os Pastores mesmo pegam emprestado o dinheiro da pequena caixa das missões para dar outros destinos. Isso afetaria diretamente os missionários que dependem delas, ao chegar o dia de enviar os salários, e aquele dinheiro ainda não está presente no caixa, não foi devolvido. Caixas missionárias que servem de socorro para as emergências locais ficam em situações desagradáveis, nem parecendo um fundo de reserva missionária, pois quem deveria dar exemplo sobre elas, fazem com que elas fiquem variáveis, instáveis e volúveis, horas tem, horas não tem.

6. Como Fazer Ofertas com Espontaneidade?

Quando existe este lindo espírito de espontaneidade nas igrejas, podem crer, elas estão passando por um avivamento, este é o segredo para a prosperidade da comunidade. A igreja como corpo de Cristo é muito inteligente e o Espírito Santo a faz perceber a transparência das missões, quando acontece isso a vontade de ofertar e o desejo de ver a obra estabelecida aflora.

As maiores ofertas na história bíblica foram feitas com espontaneidade, onde o povo de Deus deu exemplo de voluntariedade, sem que ninguém colocasse metas ou valores, e como a oferta era voluntária foi tão abundante que superou as expectativas. (1 Crônicas 29.9) “O povo se alegrou porque contribuíram voluntariamente; porque, com coração perfeito, voluntariamente deram ao Senhor; e também o rei Davi se alegrou com grande alegria“.

Estou preocupado como o espírito de voluntariedade das igrejas, no que tange as ofertas missionárias, pois em alguns lugares a voluntariedade está ausente, frágil e a alegria de contribuir espontaneamente está longe de ser real. Pode até estar na boca, mas está longe do coração. Aqueles que têm a obrigação de administrar certa quantidade de ofertas missionárias todos os meses estão apelando, falando insistentemente até chegar a ser gravoso aos irmãos, para que não se esqueçam das suas obrigações.

As exigências ofuscam a beleza da obra missionária, enfraquecem o amor e constrangem as alegrias de contribuir. Aqueles carnês missionários têm cara de imposto, pois são oferecidos e martelados até as pessoas tomarem. Alguns tomam para livrar da pessoa que está importunando e empurrando, mas não para contribuir. Quando a obra missionária é uma questão de amor, esse será o espírito que envolverá a todos.

7. Como Fazer Ofertas com Metas Divididas?

Quando os valores a ser reunidos não forem muito altos, poderá ser dividido por uma quantidade x e dado um prazo para cada família entregar o valor da oferta da meta dividida. Por exemplo, se a igreja tem apenas um missionário e precisam levantar R$ 3.000,00 mil reais todos os meses, poderiam ser divididos em 30 famílias, com R$ 100,00 reais cada uma, ou 60 famílias com R$ 50,00 reais e esta quantidade poderiam ser constantes para cada família todos os meses.

Nos Estados Unidos, as ofertas missionárias são dadas anualmente todas de uma só vez, no exemplo acima os americanos saberiam que seus compromissos seriam doar R$ 100,00 reais por mês, então entregariam os R$ 1.200,00 todos juntos para os 12 meses do ano. Ficando sobre a responsabilidade de quem administrar aquele dinheiro, dividir para ocupar a cada mês aquela quantidade exata.

8. Como Fazer Ofertas com Custo de Vida Alto?

Todas as pessoas que realizarem ofertas missionárias baseadas no custo de vida dos seus missionários podem mostrar o valor de quanto é caros alguns produtos de alimentação no país onde eles estão realizando a obra missionária. No Chile em 2012 minha esposa tinha uma etiqueta de um supermercado, do valor que era vendido à farinha de mandioca, já que não é comum a farinha de mandioca naquele país. Sabe qual era o valor de um quilo de farinha de mandioca, assustadoramente R$ 27,80 reais, o quilo. Assim como é caro também o café, a carne, os ovos, o leito e seus derivados.

Sendo eu o responsável pelo culto de missões mostraria está imagem da carestia da farinha de mandioca, e pediria aos irmãos que pelo menos cada um doasse em dinheiro, de dois a quatro quilos de farinha de mandioca. Quando as pessoas são desafiadas por estas imagens de produtos caros, elas são tocadas a contribuírem com as missões pelo menos com um quilo deste produto em questão. Este tipo de oferta incentivada produz muitas emoções, alguns entregarão suas doações rindo, outros chorando e esta oferta será inesquecível, pois todos vão querer participar de algo tão especial, claro que os quilos têm que ser em dinheiro, não em pacotes.

Como Fazer Ofertas com Objetos Valiosos?

Os missionários poderão pedir doações de objetos valiosos que o povo de Deus leva para as congregações. Relógios, joias, smartphones, tablets, câmeras fotográficas, motos e carros. Será necessário fazer uma advertência, para as pessoas que doarem objetos, que seja em bom estado, pois serão transformados em dinheiro para a obra missionária. Serão vendidos na própria igreja local, antes que ele regresse ao seu país de atuação.

Já realizei uma oferta em Villa Alemana – Chile, em uma pequena igreja onde houve doações de 36 anéis de ouro. Também realizei campanhas para conseguir cadeiras plásticas para a igreja no Chile. As cadeiras tinham um valor na época de R$ 20,00 – então pedia para quem poderia doar uma cadeira. Tinha pessoas que doavam cinco cadeiras ou mais, outras vezes se unia duas pessoas e cada uma doava a metade de uma cadeira.

Conto algo engraçado e triste ao mesmo tempo, (risos) fui enganado em uma grande igreja, através de uma pessoa que se levantou no meio da pregação e foi ao púlpito, para dizer que sozinho doaria a quantidade de cadeiras as quais eu estava pedindo. A igreja se alegrou, mas ninguém contribuiu, nem mesmo aquele senhor que fez o show dizendo que depositaria todas as cadeiras no primeiro dia hábil.

Para uma campanha assim seria bom criar envelopes para que as pessoas doassem também seus dados: nome, e-mail, telefone e endereço. Pois será muito bom enviar uma carta ou um e-mail para estas pessoas que participaram da campanha, para estar orando por elas a partir dos seus dados.

 

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *